Páginas

sábado, 31 de maio de 2008

Primeira vez...

Aconteceu...

Agora faço parte das vítimas da violência urbana aqui em Fortaleza...foi ontem de madrugada, por volta das 2h da manhã...

Sextas e sábados à noite, trabalho no Hits, e após o término do expediente, geralmente meu primo, que também trabalha lá em um nível acima, pede à algum subordinado que venha me deixar no Castelo. O problema (agora eu vejo como isso é um sério problema) é que, às vezes, eu não queria esperar e acabava por voltar pra casa à pé, em plena madrugada (e até então estava ileso)

Ontem resolvi fazer a mesma besteira e deu no que deu: Vinha eu andando de forma cautelosa, no canteiro central (entre as duas mãos da avenida), quando vi um casal vindo na minha frente, do lado direito da rua, e atrás deles vinham várias pessoas, provavelmente vindo do evento que ocorria na Reitoria da UFC. Não imaginei o assalto, mas fui surpreendido pelo casal, supostamente inofensivo, vindo na 13 de maio em direção à uma pracinha que fica depois do Shopping Benfica, próximo à Av. Jovita Feitosa. Enquanto a moça passou, o cara do lado dela parou do meu lado, há uns 3 metros de distância, e fez a abordagem levantando a camisa e pedindo alguma coisa. Antes disso, no caminho e de forma preventiva, eu havia guardado o celular na cueca (E isso não contribuiu de forma negativa pro desfecho da estória)

No momento que ele levantou a camisa, eu fiquei estático e fui tentando dizer algo pra ele se acalmar...só que não tive tempo de concluir: Chegaram vários outros marginais me chutando, esmurrando e empurrando...eu gritei e nessa hora não lembro se foram 1, 5 ou 10 minutos, mas sei que não senti dor alguma, apenas medo e agonia.

Eles me batiam, pediam o que eu tinha, e eu apenas gritava e corria, tentando me desvencilhar do bando (acredito que de 8 à 10 caras)...um deles estava com um caco de vidro na mão. Meu braço foi rasgado, meus óculos caíram no chão amassados... tentaram retirar algo que poderia haver no meu bolso e encontraram minhas chaves...simplesmente jogaram, e quando eu soltei meus chinelos, consegui correr e ficar a uns 10 metros esbravejando e pedindo que fossem embora, pois eu não tinha nada...então resolveram me deixar em paz e foram em direção ao Hits. Ainda ouvi outra pessoa gritando desesperadamente alguns minutos depois.

Depois de tudo, ainda fiquei fora de si, procurando os óculos e as chaves...as pessoas passavam e pediam pra eu ir pra casa, mesmo assim, consegui encontrar o óculos, e depois disso, resolvi ir embora, descalço, com muito sangue no braço e hematomas no rosto...

De sorte, consegui chegar no Castelo e encontrar o Edvaldo(vulgo Bombão), que estava com uma moto e me levou para oIJF...fui suturado por alguns jovens estagiários que deram 5 pontos no meu braço direito.

Alguns pontos:

Culpa minha? Por que não esperar um pouco mais para ter muito mais segurança?
Coincidência ou Sincronismo? Na mesma noite, eu havia falado sobre as duas tentativas de assalto que sofri e que havia saído ileso, mas que tudo tinha a primeira vez
Comédia? No final das contas meu celular ficou na cueca que era bem apertada por sinal, tendo eles levado apenas minha agonia, medo e um par de sandalhas velhas, e ainda, saciado a vontade de espancar pessoas...
Aprendizado? Será que agora vou ter mais cuidado? É o que espero...e também, os momentos na emergência do hospital, onde conheci e vi que a cada minuto milhões de pessoas estão sofrendo e eu não percebia isso...

Fica a lição de que o perigo é iminente e que um dia pode acontecer com você...A sensação de ser espancado não é algo que deva ser lembrado, mas marca por toda a sua vida...

Se segurança estiver ao seu alcance por um pouco mais de tempo ou dinheiro, não pense duas vezes...

Nenhum comentário: